Início | Contate-nos | Pesquisar
Histórias de Vidas

A visita do jogador do Flamengo Toró ao Vencer vai ficar na lembrança dos alunos e também da equipe do programa. Veja o que achou a estagiária Flávia Moreira: “A vontade do jogador Toró de disponibilizar metade de sua folga para conversar com os jovens sobre a sua trajetória de vida até chegar a ser jogador profissional me impressionou, já que ele só pode estar com a família duas vezes na semana. O que leva um jovem jogador a fazer este tipo de iniciativa? Acredito que seja a identificação de Toró com os jovens do Programa Vencer, que, como ele, diante das dificuldades, precisam agarrar as oportunidades com esforço e perseverança.

Notícias

 

Aula Magna marca o início do Programa Vencedoras

A mais nova iniciativa do Instituto Companheiros das Américas (ICA), o Programa Vencedoras, iniciou a sua primeira turma de 103 jovens, com uma Aula Magna no dia 6 de julho, no Centro de Referência Professor Hélio Fraga, evento também contou com a presença da equipe técnica do ICA, professores, mentores e representantes de instituições parceiras.

Assim como o Vencer, o Vencedoras utiliza uma metodologia baseada nos esportes, com atividades no campo de futebol e na sala de aula, para ajudar jovens de 24 anos a desenvolverem habilidades para o mercado de trabalho. A diferença é que o Vencedoras é voltado somente para mulheres, incorporando temas relacionados às questões de gênero e empreendedorismo.

Para ressaltar o espírito do Vencedoras, a Aula Magna foi ministrada por mulheres de destaque nas áreas de tecnologia, política e empresarial: Márcia Teixeira, responsável pela área de Responsabilidade Social e Segurança e Internet da Microsoft para a América Latina – que deu uma aula virtual por meio de um telão –; a vereadora Clarissa Garotinho (PMDB-RJ); e Andrea Rabetim, gerente de projetos da área de Responsabilidade Social da Fundação Vale, e também membro do Conselho Consultivo dos Programas Vencer e Vencedoras.

Elas apresentaram um resumo das suas trajetórias profissionais, reforçaram a importância da presença feminina no mundo do trabalho, falaram sobre as dificuldades das mulheres de conciliar trabalho e família, e deram dicas valiosas para as jovens, como estudar muito, ampliar a rede de relacionamentos e saber aproveitar as oportunidades.

Além do ICA, as instituições parceiras Ceaca Vila e a Ecos do Futuro também começam a capacitação este mês, totalizando cerca de 300 jovens beneficiadas no Rio de Janeiro. O Vencedoras, que conta com o apoio da Nike Foundation e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), deverá ser expandido para os estados do Ceará e Minas Gerais e vai beneficiar mais de 1.400 jovens nos próximos três anos.


 

Mais 400 jovens concluem o Programa Vencer no Rio de Janeiro

O público presente ao ginásio do Senai de Vicente de Carvalho no dia 28 de abril vibrou com o evento de formatura de jovens do Programa Vencer. A festa emocionou a todos com a entrega dos diplomas, homenagens, uma animada gincana e apresentações musicais. Além dos jovens, estiveram presentes educadores, representantes das instituições de ensino e capacitação, mentores, voluntários e famílias.

Muitos formandos não compareceram ao evento por não poderem se ausentar do trabalho - conquistado graças à ajuda da capacitação do Vencer - mas os 200 presentes representaram com muito entusiasmo todo o grupo de mais de 400 moças e rapazes que concluíram o programa ou estão caminhando para a sua etapa final.

Roberta dos Santos, de 17 anos, participante do programa na Fundação Gol de Letra, é uma das que estão se preparando para a última etapa. “Estou esperando a resposta de uma entrevista de trabalho e estou muito confiante. Apesar de ter ficado nervosa, o Vencer nos preparou bem para essa situação, além de ajudar a abrir as portas do mercado de trabalho para nós”, comemorou.

O treinamento desse time foi realizado em parceria com as instituições Senai/Firjan, Cieds, Ecos do Futuro, Ceaca Vila e Fundação Gol de Letra, em seis comunidades do Rio de Janeiro. Ao todo, desde 2006, cerca de 1300 jovens foram capacitados pelo Programa Vencer.

 

Visita da Nike Foundation

Nos dias 30 de março e 2 de abril, o Instituto Companheiros das Américas (ICA) recebeu a visita das representantes da Nike Foundation Dara Carr and Judith Bruce, que vieram ao país para participar do Simpósio Global Engajando Homens e Meninos pela Igualdade de Gênero, no Rio de Janeiro. Além de conhecer o escritório do ICA, em Curicica, a capacitação nas instituições executoras e os jovens participantes do Vencer, as visitantes conversaram com a equipe do ICA sobre o Vencedoras, novo programa da organização voltado para jovens mulheres e patrocinado pela Nike Foundation.

Mutirão contra a dengue

Acabar com a água parada em vasos de plantas, pneus, latas, garrafas e outros recipientes é a solução para combater o mosquito da dengue e evitar a doença. Esta foi a principal lição compartilhada por 13 jovens do Programa Vencer com os moradores do bairro de Guadalupe no Rio de Janeiro. A abordagem fez parte da Ação Voluntária Contra a Dengue, organizada pelo Senai/Firjan com os jovens do Vencer na unidade de Honório Gurgel.

A ação consistiu em entrevistar os moradores do bairro para saber o que acham sobre a dengue e distribuir folhetos com informações sobre o tratamento e a prevenção da doença. Após entrevistar cerca de 30 pessoas, os jovens constataram que a grande maioria acha que, se as pessoas e o governo trabalharem juntos, a dengue pode acabar. Eles concluíram também que os moradores querem, através da união e força de vontade, acabar de vez com a doença no bairro.

Para uma das voluntárias, Fernanda da Silva, de 17 anos, a ação deu a oportunidade de mostrar para as pessoas a importância de prevenir a dengue, para que cada vez mais diminuam os casos de morte pela doença. “Se cada um fizer a sua parte, a gente chega lá. Não adianta pensar que, se o o vizinho não faz, você não vai fazer. Pelo contrário, você tem que fazer e conscientizar os outros para que todos juntos vençam a doença”, diz.

Passeio com lazer e ciência

A Ecos do Futuro iniciou as atividades de 2009 do Programa Vencer com uma visita dos jovens ao Museu da Vida, localizado no campus da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Os jovens visitaram, no dia 6 de janeiro, o espaço da Biodescoberta, o Parque da Ciência e o Castelo Mourisco, que visam informar e educar em ciência, saúde e tecnologia de forma lúdica e criativa, através de exposições permanentes, atividades interativas, multimídias, teatro, vídeo e laboratórios.

“O objetivo das visitas que organizamos com os jovens é mostrar que existem outros espaços de aprendizado além da escola, que são muito prazerosos e devem ser apropriados por eles”, diz Kátia Senna, diretora da Ecos do Futuro.

 

Jovem capacitada pelo Vencer integra a equipe do ICA

Ex-aluna do Programa Vencer, Amanda Vargas, de 17 anos, foi selecionada para estagiar no Instituto Companheiros das Américas (ICA), no Rio de Janeiro, onde aproveita a oportunidade para aperfeiçoar o que aprendeu na capacitação e se prepara para saltos cada vez maiores.

“Antes do Programa Vencer eu tinha vergonha de conversar com as pessoas. Nas aulas, aprendi a me comunicar melhor, a trabalhar em equipe e a respeitar a opinião do outro. Hoje vejo que numa empresa isso é fundamental. O meu mentor, Orly Costa, também me ensinou bastante. Ele dizia que cada um tem que ter confiança em si mesmo, porque todo mundo tem a possibilidade de crescer”, destaca.

Com a ajuda do Programa Vencer, Amanda teve sua primeira experiência profissional numa empresa de telemarketing e cobrança: “Lá também aprendi muito. Todo dia tinha que resolver problemas, por isso tinha que ficar calma e saber lidar com as situações. Não podia fica nervosa com o cliente. Hoje, no ICA, estou lidando com mais atividades de escritório e complementando meus conhecimentos, além de ter a possibilidade de continuar a ajudar financeiramente em casa”.

Estudante do ensino médio numa escola estadual em Curicica (Jacarepaguá), filha de um jardineiro e uma auxiliar de serviços gerais, Amanda tem muitos planos para o futuro. Se depender da sua determinação, Amanda irá muito além de conquistar a independência tão sonhada: “Quero ser advogada. Mas antes de tentar a faculdade quero continuar trabalhando e fazer cursos de inglês, espanhol e informática. Ao procurar emprego, vi que a maioria das empresas cobra esses conhecimentos. Também sonho em morar de frente para a praia”.

Encontro com o Rei

O advogado Pedro Trengrouse, Conselheiro do Programa Vencer, esteve nesta segunda-feira com o Rei Pelé, que apóia o progama desde a sua concepção. O encontro aconteceu na cerimônia de encerramento do Campeonato Brasileiro, organizada pela CBF no Rio de Janeiro.

Representantes de organização internacional levam lições do Vencer para o Egito

Na primeira semana de dezembro, o Programa Vencer recebeu a visita dos representantes da Save the Children Egito, Ahmed Sobein e Mehry El Awaday, parceiros na Rede de Educação e Promoção para Pequenas Empresas (Small Enterprise Education and Promotion – SEEP Network). O objetivo da visita foi conhecer a metodologia do Vencer e as soluções encontradas pelo programa para enfrentar alguns dos principais problemas da juventude no Brasil.

Antes de conhecerem as unidades onde o Vencer está sendo implementado, Ahmed e Mehry assistiram a uma apresentação da equipe do Instituto Companheiros das Américas sobre a realidade da juventude brasileira e as oportunidades geradas pelo programa. O uso do esporte para o desenvolvimento de habilidades de trabalho, a relação com o mercado de trabalho e o sistema de monitoramento e avaliação do Vencer foram alguns do temas abordados no encontro.

“Apesar das diferenças culturais, nós fazemos um trabalho muito semelhante ao Programa Vencer e, por isso, queríamos conhecer a realidade de vocês e aprender lições para levar para o nosso país”, disse Amed.

Os visitantes conheceram jovens capacitados pela Fundação Gol de Letra, Firjan, Ceaca Vila e Ecos do Futuro, e ainda estiveram na Telesoluções, empresa que contrata cerca de 100 jovens do Vencer por ano.

 

Renovada parceria com Senai/Firjan e Cieds  

Parceiros do Companheiros das Américas desde 2006, o Senai/Firjan e o Cieds iniciaram em novembro a capacitação de mais 100 jovens pelo Programa Vencer. O curso está sendo implementado em três comunidades do Rio de Janeiro (Vicente de Carvalho, Honório Gurgel e Bonsucesso) e terá a duração de 6 meses.

Segundo Luisa Nobrega, gerente de projeto do Cieds, o programa, através das aulas de campo e quadra, será grande um diferencial para a inserção dos jovens no mercado de trabalho. “A oportunidade de vivência prática que eles terão no término do curso fará com que as empresas possam conhecer e até mesmo absorver estes jovens profissionais”, diz Luisa.

Responsável pelo monitoramento das instituições de capacitação e educação executoras do Programa Vencer, a assessora de concepção pedagógica do ICA, Célia da Cal, acredita que a parceria será mais uma vez uma sucesso: “Ficamos muito bem impressionados com a organização do Senai e a participação das turmas. A equipe técnica demonstra estar em perfeita sintonia com a utilização da metodologia e do material didático do Vencer.”

 

Gol de Letra dá o pontapé inicial com o Vencer

Fundação Gol de Letra é a mais nova parceira executora do Programa Vencer. As aulas começaram no dia 20 de outubro na sede da instituição no Caju, zona norte do Rio de Janeiro, com 66 alunos divididos em três turmas. A capacitação em Técnicas Administrativas e Atendimento ao Cliente, que conta ainda com a parceria da Microlins, empresa de ensino profissionalizante, será realizada em 5 meses.

Para a Gol de Letra, que possui quase 10 anos de atuação e experiência na utilização do esporte na formação educacional e cultural de crianças e jovens, o Programa Vencer dará aos participantes a oportunidade de experimentarem o esporte como um fator de desenvolvimento, inclusão e exercício social, segundo Felipe Ramos, coordenador de projetos da instituição. “O grupo está em franca descoberta e muito interessado nas linguagens oferecidas”, relata Felipe.

Enquanto os jovens se preparam para a etapa de vivência prática das habilidades desenvolvidas durante o treinamento, a equipe da Gol de Letra busca garantir as melhores oportunidades. “Estamos em contato com empresas e fundações de apoio ao estágio e ao primeiro emprego e acho que podemos dar um ótimo encaminhamento dos jovens ao mercado”, prevê Felipe.

Uma nova visão do futebol

A convite da Fundação Eprocad - Fundação Esportiva e Educacional Pró Criança e Adolescente, o Instituto Companheiros das Américas (ICA) participou do 2º Encontro Regional de Futebol de Rua, nos dias 7, 8 e 9 de novembro, em São Paulo. O encontro fez parte do projeto Futebol de Rua - “Uma nova visão do jogo”, desenvolvido pela Fundação Eprocad em parceria com a FIFA, que propõe oferecer através da prática do futebol, oportunidades de inclusão social a crianças e jovens em situação de risco e vulnerabilidade social.

O eventou reuniu jovens, educadores e coordenadores de instituições sociais que possuem em sua linha de trabalho a preocupação com o processo educacional pela prática esportiva participaram. O ICA levou dez jovens ex-alunos do Programa Vencer e ficou na 4ª colocação entre as sete instituições participantes.

“Nossos jovens foram bastante participativos, não somente nos jogos, mas principalmente nas atividades de integração, e ficaram ainda mais animados com o projeto. Após o encontro em São Paulo, continuamos treinando com os jovens três vezes por semana na sede do ICA e estamos convidando outros ex-alunos do Vencer para participar desse grupo. Queremos fazer parte da Rede Sul-americana de Futebol de Rua da FIFA, por isso vamos tentar mandar um representante para o próximo campeonato sul-americano, que acontecerá em dezembro, no Chile”, conta Aderlúcia Nascimento, representante da equipe técnica do ICA.

 

Vencedores comemoram na Ecos e no Ceaca

Mais 182 jovens concluíram o Programa Vencer no último mês. Capacitados pela Ecos do Futuro e pelo Ceaca Vila, estes jovens já comemoram muitas conquistas. Na Ecos, 98 alunos foram capacitados com vivência prática e 48 destes jovens foram contratados pela Telesoluções, empresa de telemarketing na qual realizaram a vivência na condição de Jovens Aprendizes. Na cerimônia de formatura, realizada no dia 12 de setembro, na Ilha do Governador Iate Clube, familiares, educadores, mentores representantes do Instituto Companheiros das Américas e da Telesoluções prestigiaram os jovens vencedores. Agora, a Ecos do Futuro se prepara para iniciar uma nova turma do Programa Vencer com 100 participantes. A aula inaugural será no dia 13 de outubro.

No Ceaca, a cerimônia de formatura aconteceu no dia 3 de outubro na Associação Atlética da Light, com 84 jovens. Cerca de 40 jovens já conseguiram oportunidades de trabalho e os que estão em vivência prática continuam sendo acompanhados pela equipe do Ceaca, por meio de visitas aos locais de trabalho, reuniões e relatórios.

 

Programa Vencer recebe visita do BID

Nos dias 31 de julho e 1º de agosto, o Programa Vencer recebeu a visita de Maritza Vela e Kai Hertz, representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Eles estiveram no Rio para fazer o acompanhamento do resultados do Programa Vencer no Brasil.

Além da nova sede do ICA, em Curicica (Jacarepaguá), Maritza e Kai visitaram a central de tele-atendimento da BR Distribuidora, onde dois participantes do Vencer estão trabalhando, e a capacitação profissionalizante do Vencer na Vila, no Morro dos Macacos. Eles conversaram com os jovens, a equipe técnica e mentores do programa, e assistiram a uma apresentação preparada pelos jovens do Ceaca - com teatro, música, poesia e projeção de slides - sobre as propostas da Conferência Nacional de Juventude.

 

 

Intercâmbio de vencedores e aprendizes

O auditório do Centro Integrado de Atenção à Pessoa com Deficiência (CIAD), no Centro do Rio de Janeiro, foi palco de uma grande iniciativa que reuniu 40 jovens do Programa Vencer na Vila e do Programa Jovens Aprendizes com deficiência do Instituto Unibanco. O encontro foi facilitado pelo Ceaca Vila e o espaço, cedido pelo CIAD, mas o evento foi idealizado pelos Jovens Aprendizes, segundo Luciana Munis, coordenadora do Vencer na Vila.

A idéia do encontro surgiu a partir da convivência dos Jovens Aprendizes com os participantes do Vencer durante as aulas de informática realizadas no Ceaca. “Eles queriam criar mais um espaço de intercâmbio entre eles e optaram por um encontro para a troca de informações de assuntos relevantes para a juventude”, disse.

Desta forma, os jovens do programa do Instituto Unibanco, que também tem parceria com o Ceaca Vila, apresentaram informações sobre a Lei do Aprendiz, e os participantes do Vencer na Vila falaram sobre as 22 propostas prioritárias da Conferência Nacional de Juventude.

Na ocasião, os jovens do Vencer colocaram em prática o aprendizado adquirido tanto nas aulas de informática quanto nos conteúdos socioeducativos do programa, pois tiveram que preparar apresentações em PowerPoint e esquetes de teatro sobre as propostas da Conferência.

“Foi uma experiência muito interessante, porque os jovens ficaram realmente comprometidos com essa apresentação. Alguns nem dormiram de tão nervosos. Mas eles realmente gostaram dessa responsabilidade e vão reproduzir a apresentação para crianças e jovens de outros projetos do nosso centro comunitário”, afirmou Luciana. 

Futebol e saúde

No dia 30 de junho, o Programa Vencer recebeu a vista de Anne Montgomery, colaboradora da Grassroot Soccer, uma ONG que utiliza o futebol na luta contra o HIV/Aids na África. Anne quis conhecer os aspectos da metodologia do Vencer que poderiam ser utilizados no seu trabalho de capacitação, cujo objetivo é fornecer conhecimento e apoio para que crianças e jovens de 10 a 18 anos possam se prevenir contra o HIV/Aids.

Durante a visita, ela assistiu a uma dinâmica de grupo com ex-participantes do Vencer para seleção de estagiários e conversou com a equipe do programa. “Apesar de a nossa atuação ser na área da saúde, o nosso projeto é semelhante ao Vencer em diversos aspectos. Vocês fazem um trabalho muito interessante aqui e acho que podemos aprender bastante com essa experiência”, observou.

Alessandro Molon conversa com os jovens do Vencer

“A política é um problema nosso”, ressaltou o deputado estadual Alessandro Molon (PT) em palestra dirigida aos alunos do Programa Vencer em parceria com a ONG Ecos do Futuro, no dia 26 de junho, no auditório da Universidade Estácio de Sá, na Ilha do Governador. A palestra, realizada a partir de um convite da Ecos, teve o objetivo de discutir “A importância da participação da juventude na política do município” e contou com a presença de cerca de 80 jovens do programa, todos interessados em entender melhor e debater os problemas e possíveis soluções para a cidade do Rio de Janeiro.

Molon começou com uma breve apresentação, na qual falou sobre sua formação acadêmica, profissional e política. Bacharel em Direito, professor de História, presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania e da Comissão Especial de Políticas Públicas para a Juventude da Assembléia Legistavia do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), além de ser candidato à prefeitura do Rio de Janeiro, Molon enfatizou a importância de se aprender com as dificuldades. “Diante dos problemas, a gente descobre a nossa força. Tenho aprendido isso na minha experiência política e vocês também devem estar aprendendo isso na vida. Pelo fato de estarem aqui, vocês já são vencedores”, disse ele, referindo-se à participação dos jovens no Programa Vencer.

Após falar sobre a importância do voto, as atribuições do prefeito, os problemas atuais da cidade e propostas para solucioná-los, Molon respondeu às perguntas dos jovens sobre diversas áreas: educação, saúde, transporte, segurança, trabalho, entre outras. Os jovens demonstraram sua preocupação por uma grande variedade de temas, desde a assistência à população de rua, combate à dengue, motivação de professores e alunos na rede pública de ensino, até oportunidades de trabalho para ex-presidiários.

O tempo foi pouco para tantas questões, mas suficiente para lembrar aos jovens o quanto é importante estar atento à política do seu município, estado e país. “Tem gente que acha que só tem político ladrão, mas acho que votar nulo é pior. Temos que cobrar o cumprimento das promessas dos políticos”, concluiu uma das alunas, Monique Silva.

 

Fórum de Juventudes no ICA

O Instituto Companheiros das Américas (ICA) sediou, no último 28 de maio, uma reunião do Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro. Além de representantes de organizações integrantes do Fórum – entre elas o ICA e as ONGs Escola de Gente e Ser Cidadão também participaram do evento jovens do Programa Vencer e membros da ONG Ceaca Vila, parceira do programa. Na ocasião, a equipe do ICA promoveu um rico bate-papo sobre as atividades e encaminhamentos do Fórum como as conferências de juventude e os “encontros de galeras” , as propostas aprovadas na 1a Conferência Nacional de Juventude, realizada em abril, e a importância de espaços e instâncias para a discussão de políticas de juventude, como o Conselho Nacional de Juventude, do qual o ICA também é membro. O encontro também foi uma excelente oportunidade de intercâmbio e apresentação do trabalho das instituições então representadas.

                         Foto: Walter Mesquita/Viva Rio

Jovens concluem programa realizado em parceria com o Viva Rio

Uma importante etapa da vida de 168 jovens do Programa Vencer acaba de ser concluída, mas o jogo está apenas começando. Esta foi a mensagem que ficou para os formandos do programa em parceria com o Viva Rio, em cerimônia realizada no dia 21 de maio, na sede da ONG. Após oito meses de capacitação no Centro de Referência Professor Hélio Fraga, em Curicica, houve muitas conquistas e lições aprendidas.

Amanda Vargas é uma dos 89 jovens do grupo que conseguiram uma oportunidade de trabalho. “Foi uma oportunidade maravilhosa que eu pude ter lá. Consegui me qualificar para ter um bom trabalho. Agradeço ao programa e a todos pelo carinho!”, disse emocionada.

Embora não esteja trabalhando, a formanda Bruna Cristina sabe o que é preciso para realizar os seus sonhos. “No Vencer, aprendi a respeitar mais as pessoas e os meus limites. Agora sei que tenho que me esforçar muito para alcançar meus objetivos. Descobri que todos temos capacidade de lutar, só temos que ter força de vontade”, declarou.

Além dos alunos, o evento contou com a presença de representantes dos Companheiros das Américas e do Viva Rio, educadores e mentores do programa, que se pronunciaram antes da entrega dos certificados.

“O que fizemos faz parte da nossa missão. Cada um de vocês é merecedor dessa oportunidade e também de um país melhor. Vocês ainda vão ter que correr muito atrás de outras oportunidades, mas espero que essa experiência tenha um significado importante na vida de vocês”, disse Cláudia França, diretora do Programa Vencer.

O diretor executivo do Viva Rio, Rubem César Fernandes, parabenizou os jovens pelo esforço investido no programa: “Eu sei que não foi fácil para vocês chegarem até aqui e que agora estão partindo para outras batalhas. Por isso vocês são um grupo vencedor. Parabéns a todos!”

O mentor Orly Carvalho também elogiou o grupo e os profissionais envolvidos no programa. “Vocês foram alunos fantásticos e tenho certeza de que nunca vão esquecer dessa etapa de suas vidas. Este curso tem muita qualidade e pessoas maravilhosas”, declarou.

Quase metade dos desempregados no Brasil é jovem, diz Ipea*

Aécio Amado
Repórter da Agência Brasil

 

Brasília - Os brasileiros de 15 a 24 anos representam quase a metade das pessoas sem emprego no Brasil. A constatação é da pesquisa Juventude e Políticas Sociais no Brasil divulgada hoje (20) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

De acordo com o estudo, o desemprego entre os jovens não é um fenômeno apenas brasileiro, mas global. No entanto, entre os dez países pesquisados, o Brasil é o que apresenta a maior taxa de jovens desempregados, com 46,6%. México vem em seguida com 40,4%, Argentina, 39,6%, Reino Unido, 38,6%, Suécia, 33,3%, Estados Unidos, 33,2%, Itália, 25,9%, Espanha, 25,6%, França, 22,1%, e Alemanha, 16,3%.

O trabalho coordenado pelos pesquisadores Jorge Abrahão de Castro e Luseni Aquino mostra ainda que o desemprego entre os jovens brasileiros de 15 a 24 anos é 3,5 vezes maior que entre os adultos acima dos 24 anos.

O documento revela ainda que um dos fatores do desemprego ser maior entre os jovens relaciona-se ao fato de as empresas optarem sempre por demitir os trabalhadores mais jovens que, além do baixo custo, são considerados menos “essenciais” por causa da falta de experiência.

*Notícia divulgada pela Agência Brasil. A íntegra da pesquisa pode ser encontrada no site do Ipea.

Membros da OEA e de governos sul-americanos elogiam metodologia do Vencer 

No dia 19 de maio, véspera de um encontro sobre juventude e trabalho da Organização dos Estados Americanos (OEA), no Rio de Janeiro, [ver nota abaixo] participantes do evento visitaram o Programa Vencer no Ceaca Vila, com o objetivo de conhecer de perto um exemplo de ação social realizada por organizações da sociedade civil no Brasil.

Pela manhã, o Vencer na Vila recebeu Maria Claudia Camacho, especialista laboral, e Ana Maria Angarita, consultora, ambas do Departamento de Desenvolvimento Social e Emprego da OEA. Elas conversaram com a equipe do Vencer e assistiram a uma aula de capacitação dos jovens na quadra. Interessadas em todos os aspectos do programa e na situação educacional e de empregabilidade no Brasil, as representantes da OEA também conversaram com os jovens sobre como o Programa Vencer tem ajudado em sua formação e suas expectativas. “Há muitos projetos da capacitação de jovens em diversos países das Américas. Mas poucos são como este, que ensina habilidades específicas e importantes. Vocês têm muita sorte de fazer parte deste programa. Aproveitem!”, disse Maria Claudia dirigindo-se aos jovens do Vencer ao final da visita.

“No seminário vamos reunir experiências de toda a América Latina para proporcionar um intercâmbio entre organizações da sociedade civil e governos de todos os países. A idéia é que os governos possam ver o que essas organizações estão fazendo e que lições podem levar para seus países”, disse Maria Claudia Camacho.

Representantes dos ministérios do trabalho da Guiana e de Bahamas visitaram o Ceaca na parte da tarde e também conversaram com a equipe do Vencer e os educadores e assistiram a uma aula de capacitação. “Achei um trabalho muito interessante, porque não é só esporte. Os jovens aprendem que existem regras e que eles têm que ter disciplina em determinadas situações. Além disso, param para refletir sobre as suas atitudes no jogo e o que pode funcionar num ambiente de trabalho”, observou Dorothy Godet, membro do Ministério do Trabalho das Bahamas.

“Nós também temos problemas desemprego e violência entre os jovens e projetos sociais similares a este em nossos países. Temos que nos unir para trocar experiências e encontrar soluções para esses problemas”, declarou Valerie Moore, membro do Ministério do Trabalho na Guiana.

Seminário debate a empregabilidade de jovens

Funcionários do Ministério de Trabalho dos 34 países membros da OEA, além de representantes da OIT, BID e organizações da sociedade civil, participaram do Seminário sobre Trabalho dos Jovens, da Rede Interamericana para a Administração Laboral (Rial), realizado nos dias 20 e 21 de maio, no Rio de Janeiro. Foi um espaço de diálogo, reflexão e intercambio de experiências, com o objetivo de identificar lições aprendidas que permitam melhorar e tornar mais efetivas as estratégias e programas dirigidos a jovens para que realizem todo seu potencial, através de empregos produtivos e trabalho decente. A Rial é uma parceria entre a OEA, o Sistema CNC-Sesc-Senac, o Ministério do Trabalho e Emprego e o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos. 

 

Gincana reforça habilidades do Vencer

 

Para reforçar o conteúdo oferecido em quadra pelo Programa Vencer, o Ceaca Vila promoveu, no dia 16 de maio, uma atividade lúdica com os jovens num sítio em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro. "Chamamos a atividade de 'Concentrando as habilidades'", conta Luciana Munis, coordenadora do programa no Ceaca. A proposta dinâmica consistiu na realização de uma gincana, que contemplou pistas espalhadas pelo sítio, adivinhação de charadas e elaboração de tarefas. Entre elas, a montagem de uma empresa de informática, uma equipe de futebol, tema livre (considerando os conteúdos trabalhados no Programa) e auxiliar as outras equipes no desenvolvimento de suas tarefas.

1ª Conferência Nacional de Juventude reúne as prioridades de todo o país

Diversidade: esta foi a característica mais marcante do processo que culminou com a 1ª Conferência Nacional de Juventude, que aconteceu de 27 a 29 de abril, em Brasília, na visão de Aderlúcia Nascimiento, uma das representantes do Instituto Companheiros das Américas no evento. Eleita entre os 100 delegados que levaram propostas do estado do Rio de Janeiro para o encontro nacional, Aderlúcia acha que a sociedade civil deve participar mais nas discussões sobre políticas de juventudes.

“Acredito que a diversidade agrega conhecimento e troca de experiências. As instituições sem vínculo político partidário deveriam ter uma participação mais forte nesses espaços. Os partidos são necessários mas nunca devemos deixar de ter o foco no bem-estar comum. Acredito que deixar de olhar para o próprio umbigo fará com que nossa contribuição para a sociedade seja bem maior. Creio que futuramente possamos ver mais juventudes contempladas e representadas nesses espaços”, diz.

Um marco na história brasileira, a Conferência Nacional uniu governo e sociedade civil na tentativa de consolidar a política nacional de juventude e incluir, de forma permanente, o tema na agenda das políticas públicas. Ao final do encontro foram apresentadas as 22 prioridades da juventude brasileira, representada no evento por mais de 2,5 mil pessoas, entre convidados e delegados eleitos nas etapas preparatórias.

Desde fevereiro deste ano, o ICA esteve envolvido no processo das Conferências de Juventudes em suas várias instâncias: da Conferência Livre do município do Rio de Janeiro e a Conferência Estadual do Rio de Janeiro – onde conduziu um painel sobre trabalho e renda – até a Conferência Nacional. Neste período, o ICA participou também da eleição do Conselho de Juventude do Estado do Rio de Janeiro (COJUERJ) no qual apoiou as candidaturas do CIEDS e da Ecos do Futuro (ambas parceiras do Programa Vencer).

Sobre os debates no Rio de Janeiro, Aderlúcia acredita que a sociedade teve um bom nível de discussão, embora tenha aprendido algumas lições. “A Conferência Estadual foi um espaço muito rico, porque teve uma diversidade muito grande de pensamentos, classes sociais etc. Ou seja, conseguiu abranger muitos públicos, todos buscando defender a causa de juventude. Daí surgiram muitos debates calorosos, como questão do serviço militar obrigatório. A importância de ouvir a opinião dos jovens sobre a política feita para eles foi uma das grandes lições desse encontro”, afirma.

Mais informações sobre a Conferência Nacional de Juventude – incluindo o documento com as 69 resoluções e 22 prioridades aprovadas no encontro – podem ser encontradas no Portal da Juventude, do Governo Federal.


Jovens do Vencer recebem a visita de mais um jogador do Flamengo

Fama, dinheiro, carros? Vida de jogador de futebol não é tão fácil quanto se imagina, segundo Rodrigo Arroz, do Flamengo, que conversou com os jovens do Vencer sobre a sua carreira e as habilidades necessárias para o sucesso profissional. O bate-papo aconteceu no último dia 10 de abril, na unidade do Programa Vencer em Vila Isabel.

“Temos que ter disciplina e respeito com os companheiros e nos prepararmos para as oportunidades da vida, tanto no futebol quanto em qualquer outra profissão”, enfatizou Rodrigo, que recentemente marcou seu primeiro gol pelo Flamengo.

Além de respeito e disciplina, Rodrigo Arroz  reforçou para os jovens a importância do foco no resultado, outra habilidade desenvolvida pelo Programa Vencer. O persistente jogador, de 24 anos, contou que está há dez anos no clube e que sempre teve que batalhar pelo que queria: “Sou de origem pobre e nunca tiva nada fácil na vida, sempre tive que correr atrás. Mesmo com algumas incertezas, tive força, fé, botei na cabeça que queria ser jogador e lutei para isso. O apoio da minha família também foi muito importante para mim.”

Ao responder às perguntas dos jovens, Rodrigo Arroz falou ainda sobre a sua árdua rotina de trabalho: “Temos uma vida muito regrada e eu sou muito caseiro. Muitos jogadores gostam de sair, ir para baladas, mas isso não é bom. Nós dependemos muito do nosso corpo para trabalhar”.

Dificuldades? “É claro que tive momentos de dúvidas, de me achar incompetente por ficar na reserva. Ansiedade é uma coisa normal. Mas temos que nos preparar para estarmos prontos quando as oportunidades surgirem. Todo mundo tem qualidades e defeitos, coisas boas e ruins, e vai ser o melhor possível naquilo que escolher para viver”, ponderou.

Após o bate-papo, Rodrigo Arroz recebeu o carinho dos jovens, tirou fotos e distribuiu autógrafos. “Estou feliz de ter conhecido esse projeto e de saber que esses jovens têm a gente como espelho. Acho que o esporte, principalmente o futebol, tem uma influência muito grande entre eles. É um grande meio para servir como exemplo de vida”, declarou.

Juventude em pauta*

Aconteceu no último dia 1º de março a Conferência Livre, na faculdade Unigranrio, Lapa, centro do Rio. Durante todo o dia jovens entre 16 e 24 anos de idade, vindos de diversos lugares do Rio de Janeiro e da Baixada Fluminense, discutiram oito temas relacionados à juventude, como por exemplo, racismo, cultura e mídia.

Uma das mesas de discussão abordou trabalho e educação, tendo a participação das palestrantes Isabel Correia e Alaiane Matos (Casa da Mulher Trabalhadora) e Aderlucia Nascimento (Companheiros das Américas). Preocupados com o futuro profissional, os participantes discutiram questões relacionadas ao mercado de trabalho, como conseguir o primeiro emprego, a qualidade de ensino, trabalho informal, entre outros.

Para Luana Rejane, a informalidade é um assunto muito importante, principalmente para quem procura o primeiro emprego. “Nós precisamos de mais estudo para conseguir uma vaga no mercado de trabalho. Cursos profissionalizantes e uma escola com melhor qualidade são requisitos básicos”. Segundo Aderlucia é inadmissível que os jovens troquem a escola por um trabalho informal. “Os jovens precisam se capacitar mais para sair da  informalidade”, afirma a professora.

Jéssica Pereira acredita que não basta ter uma boa escola. É preciso que os alunos estejam comprometidos com o ensino. “Não adianta ter bons profissionais e uma boa estrutura se os alunos não se empenharem. Tem muita gente com oportunidade que não aproveita”, afirma.

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego os jovens ocuparam, entre 2003 e 2007, cerca de 90% das 6 milhões de novas vagas criadas com carteira assinada no mercado de trabalho. Mas o desemprego afeta mais intensamente a juventude, por isso é tão comum que os jovens procurem bicos e quebra-galhos. Segundo dado do Instituto Cidadania de 2003, 63% dos jovens  não trabalham com  carteira.

Outro tema que não saiu da pauta de discussão foi a dificuldade de conciliar estudo e trabalho. Jéssica de Castro, integrante da Organização das Mulheres Negras do Bairro Roncador (OMBRO), em Magé, contou a história de um vizinho que abandonou os estudos para ajudar em casa. Os participantes se perguntaram como as empresas pedem experiência, se na maioria das vezes o jovem nunca  antes trabalhou. Também falaram que mesmo com uma boa formação acadêmica ainda é difícil a iniciação no mercado de trabalho.

No final dos debates saiu o desafio: como é possível garantir a qualificação profissional, política e social dos jovens para o mercado de trabalho? Além de sugerir propostas que incluem uma escola com boa estrutura física e docente, além de convênios com empresas qualificadas. O encerramento da Conferência Livre foi a apresentação dos resultados dos oito temas de discussão, que vão virar um documento, que será levado a Conferência Estadual, que vai acontecer nos dias 28, 29 e 30 de março.

*Matéria publicada no portal Viva Favela e produzida por Jéssica Pereira, Luana Rejane e Diego Jesus, jovens participantes do Programa Vencer, durante a oficina de jornalismo do Viva Favela. Colaboração: Renata Sequeira.

Equipe do Programa Vencer prepara jovens para 1ª Conferência Nacional de Juventude

O Instituto Companheiros das Américas (ICA) está participado ativamente da etapa preparatória para a 1ª Conferência Nacional de Juventude, a ser realizada em Brasília, em abril de 2008. Organizada pelo Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) – do qual o ICA é integrante – e pela Secretaria Nacional de Juventude, a Conferência Nacional tem como objetivo discutir quais são as principais ações e programas que os governos devem realizar para promover os direitos deste segmento.

Jovens de todo o Brasil podem participar desse processo, através das conferências municipais e estaduais. Os delegados eleitos nas conferências estaduais deverão levar as propostas colhidas nesses encontros para a Conferência Nacional.

Para ajudar os jovens a se organizarem e refletirem sobre quais políticas públicas devem ser desenvolvidas para eles, o ICA, em parceria com a Casa da Mulher Trabalhadora (CAMTRA), conduziram o painel “Trabalho e renda”, com a participação de 120 jovens, na Conferência Livre realizada pelo Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro no dia 1º de março, no Centro do Rio de Janeiro. Além da equipe do Vencer, os jovens do programa também estiveram lá para debater com jovens de outras organizações as propostas que serão levadas para o encontro nacional. O ICA conduzirá o mesmo painel na Conferência Estadual, que acontecerá de 28 a 30 de março.

Mais informações sobre a 1ª Conferência Nacional de Juventude podem ser obtidas no Portal da Juventude do Governo Federal.  

Plantio de mudas é parte de ação voluntária dos jovens do Vencer

Como parte das atividades do Programa Vencer, 22 alunos da unidade de Curicica realizaram uma ação voluntária, no dia 26 de janeiro, no Horto Florestal de Jacarepaguá, com o plantio de mudas de árvores dentro da área destinada ao reflorestamento. Antes, conheceram o Parque Estadual Pedra Branca, onde viram uma exposição sobre os animais que habitam aquela região, sobre a vegetação local e, principalmente, sobre a importância da preservação daquela área para o equilíbrio do meio ambiente. Para o plantio de mudas no horto, que fica dentro da Colônia Juliano Moreira, receberam orientação da equipe do Projeto Mata Atlântica.

Segundo Keila Bilatto, responsável pela mobilização de voluntários no Programa Vencer, essa atividade mostrou aos jovens a importância da preservação do meio ambiente e como pequenas atitudes em relação ao seu bairro, comunidade ou cidade, podem ter grande impacto na conservação ambiental. Para a maioria dos jovvens, foi a primeira experiência de ação voluntária. “O envolvimento do grupo no auxílio ao reflorestamento de uma área dentro do bairro onde moram mostrou a todos a força que possuem para mudarem o que, para muitos, é considerado sem solução”, acredita.

 

Toró, jogador do Flamengo, bate papo com os jovens do Vencer

Disciplina, auto-desenvolvimento e foco no resultado. Pelo menos essas três habilidades do Vencer foram lembradas no bate-papo do jogador do Flamengo Toró com os participantes do Vencer na Vila, no Morro dos Macacos, no último dia 21 de janeiro. A convite do Ceaca Vila, o jogador visitou a unidade do Programa Vencer para conhecer o programa e dividir a sua experiência profissional com os jovens.

“Queríamos trazer um nome do esporte para fortalecer o nosso trabalho de capacitação profissional junto aos jovens. Pensamos no Toró porque ele também é jovem, tem uma imagem boa e está conquistando espaço dentro do futebol”, afirmou Luciana Vieira, coordenadora do Vencer na Vila.

Ao responder as perguntas dos jovens e da equipe do Vencer, o jogador falou sobre sobre a trajetória, sua rotina de trabalho, determinação, persistência e algumas das suas maiores dificuldades na carreira.

Disciplinado desde a infância, o jogador, de 21 anos, iniciou cedo: “Comecei aos 7 anos, ralando descalço, e conquistei as coisas passo-a-passo. Acordava todos os dias às cinco da manhã e não podia faltar aos treinos. No início, a pressão foi muito difícil. Por isso, o apoio da minha família foi fundamental.”

Toró contou ainda que passa quase toda a semana na concentração e vê a família apenas nos dias seguintes aos jogos do seu time, ou seja, duas vezes por semana. O foco muito bem definido é o que faz o jogador nunca desistir do seu sonho. “Abro mão de muita coisa para poder me dedicar ao trabalho, mas tenho paixão pelo que faço. Quando a gente bota uma coisa na cabeça, corre atrás mesmo”, ressaltou.

Depois de vencer tantas dificuldades, Toró considera que o seu maior desafio hoje é a torcida do seu time. “A torcida é muito exigente. A gente tem que matar um leão por dia”, brincou o jogador.

Mesmo estando num lugar privilegiado, cobiçado por tantos jogadores, Toró sabe que deve buscar sempre o auto-desenvolvimento. Tanto que ele não parou de estudar e hoje faz curso de inglês. “Não dá para se acomodar, porque tem muita gente que quer o nosso lugar”, declarou.

Programa Vencer apresenta sua metodologia para rede internacional

Em encontro da Rede de Educação e Promoção para Pequenas Empresas (Small Enterprise Education and Promotion – SEEP Network), realizado de 14 a 17 de janeiro, no Paraguai, integrantes da rede, provenientes de diversos países, puderam vivenciar em campo a metodologia do Programa Vencer. A atividade fez parte do workshop sobre juventude e desenvolvimento da força de trabalho, realizado com parceiros do Practioner Learning Program (PLP) da SEEP Network, com o objetivo de trocar idéias, experiência e aprendizado. Entre os integrantes da rede, estavam no encontro, além dos representantes do Programa Vencer, membros das instituições Education Development Center (EDC), Fundación Paraguaya, International Rescue Committee (IRC), Mercy Corps e Save the Children.

Comunidade do Morro dos Macacos recebe o Programa Vancer

Entidade com 30 anos de experiência em ações comunitárias no Morro dos Macacos, no Rio de Janeiro, o Centro Comunitário Lídia dos Santos (Ceaca-Vila) é o mais novo parceiro do Programa Vencer. As atividades do Vencer na Vila – nome do projeto batizado pela entidade – começaram no último dia 3 de dezembro e devem ter no total um ano de duração.

A meta do Vencer na Vila é capacitar 80 jovens da comunidade em informática. Aulas de cidadania e direitos humanos e de montagem e manutenção de micros, além das atividades em quadra, fazem parte da programação do projeto.

O Vencer na Vila conta com a parceria do Comitê de Democratização da Informática (CDI) e da escola de informática Microlins.

Alunos de telemarketing visitam central de atendimento

No dia 6 de dezembro, os jovens da turma de telemarketing do Programa Vencer (unidade de Curicica) visitaram a Central de Atendimento da BR-Petrobras, no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro. Recebidos pela gerente e a supervisora da Central, os jovens conheceram de perto o funcionamento do local. A visita foi uma iniciativa dos mentores Orly Costa e Lair de Paula.

“Percebemos que a turma ficou encantada com a estrutura e organização da Central. Temos certeza de que esta visita contribuirá para o desenvolvimento profissional de nossos jovens, além de ser um fator de motivação para que eles continuem com todo ‘gás’”, garantiu Orly.

ICA é eleito membro do Conjuve

No último dia 10 de dezembro, o Instituto Companheiros das Américas (ICA) foi eleito em Assembléia para a vaga de suplente na cadeira de Protagonismo Juvenil no Conselho Nacional de Juventude (Conjuve). Foi a primeira eleição para escolha dos representantes da sociedade civil que vão compor o colegiado no biênio 2008/2009. O processo contou com a participação expressiva de atores sociais que atuam no campo da juventude.

O Conjuve é composto por 60 integrantes entre titulares e suplentes, sendo 20 representantes do poder público e 40 representantes da sociedade civil. O principal critério para que uma pessoa ou organização possa se candidatar é possuir reconhecida atuação na defesa e promoção dos direitos da juventude. A posse dos eleitos está prevista para a segunda quinzena de fevereiro de 2008.

Para Cláudia França, diretora do Programa Vencer, “trata-se de representação política e reconhecimento da hoje maior instância de co-gestão de políticas públicas existente hoje no país e, sem dúvida, uma janela de oportundiades para o Vencer e para todo o ICA no futuro”.

Saiba mais no Portal da Juventude do Governo Federal.

Mais um passo para a expansão do Programa Vencer para MG

Durante a Convenção dos Companheiros das Américas, realizado em novembro em Ouro Preto (MG), o Estado de Minas Gerais, representado pelo coordenador Especial de Juventude, Roberto Tross, e o Instituto Companheiros das Américas (ICA), representado pela diretora do Programa Vencer, Cláudia França, assinaram um Acordo de Cooperação Técnica para a elaboração de uma proposta de implementação de um piloto do Programa Vencer naquele estado. O acordo reforça a existência de um “interesse mútuo no intercâmbio de experiência, ações e aprendizados” para a “promoção de ações educacionais com foco no esporte para a juventude”.

Jovens iniciam movimento em evento dos Companheiros das Américas, em Ouro Preto

A participação dos jovens foi o grande destaque da Convenção dos Companheiros das Américas deste ano, que aconteceu de 15 a 17 de novembro, em Ouro Preto. Com o tema “Voluntariado e Juventude – Energia Levantada para o Século 21”, o evento reuniu 150 pessoas, entre membros, diretores, amigos e voluntários dos Companheiros de diversos países, para troca de experiências e fortalecimento de parcerias.

Duas jovens do Programa Vencer e 14 jovens do Programa Jovens Embaixadores (outro projeto dos Companheiros) marcaram presença no evento, participaram de um fórum de jovens e discutiram temas como voluntariado e protagonismo juvenil.

Para Léa Menezes, uma das jovens representantes do Vencer, a Convenção foi uma experiência inesquecível. “Participei das atividades junto com os Jovens Embaixadores, que me receberam super bem. Passei a ter vontade de conhecer mais pessoas e culturas novas. Além disso, passei a dar mais importância ao trabalho voluntário. Só tenho a agradecer ao Programa Vencer por essa oportunidade”, conta.

Cíntia Lourenço, outra aluna do Programa Vencer, diz que adorou conhecer jovens de outros países e que aprendeu muito com os exemplos de outros projetos: “Eu não tinha noção de como era o trabalho das ONGs e dos voluntários. Não sabia que tinha tanta gente disposta a ajudar a quem precisa. Fiquei muito interessada e vi que também posso ser útil”.

Ao final do evento, os jovens elaboraram o Manifesto de Ouro Preto, onde apresentam suas conclusões, se colocam à disposição para se envolver e ter voz em todos os setores da sociedade, e convidam os adultos e outros jovens a se juntarem a eles neste movimento. Para ler o Manifesto de Ouro Preto clique aqui.

Promoting Leadership, Understanding and Opportunity in the Americas
1424 K Street, NW, Suite 700, Washington, DC 20005
Tel: 202.628.3300 | Fax: 202.628.3306 | Email: info@partners.net
Partners of the Americas copyright 2001, 2002, 2003, 2004, 2005 Privacy Policy